FEIRA DE SANTANA / Reitor teme consequências de “medida de força” contra ocupação da Uefs

O reitor Evandro do Nascimento avalia que se desencadear uma “medida de força” para retomar as atividades da Uefs, as consequências negativas podem durar por muito tempo. Por isso, a opção é pela negociação, justifica.
O impasse já dura um mês, com aulas suspensas desde que estudantes ocuparam a reitoria, em 01 de novembro. Reunião ontem (01) terminou sem solução novamente e outra ficou marcada para a próxima semana.

O protesto estudantil é contra medidas do governo federal, como a PEC que congela o orçamento e a reforma do ensino médio, mas também há muitas reivindicações internas referentes à própria Uefs.

Evandro cita como exemplo de ação traumática contra os estudantes, uma desocupação da reitoria em 2003 (quando o reitor era Onofre Gurjão, do grupo político ao qual o de Evandro se opunha). “Houve uma desocupação com uso da força e depois por quase um ano a instituição viveu situações muito tensas”, recorda. Ele avalia que a retirada à força acabou por reforçar o ânimo dos estudantes.

O reitor reconhece que muitos, externa e mesmo internamente, “advogam uma solução mais drástica, como a reintegração de posse”. Mas defende que a cultura da universidade é do diálogo. “A utilização de uma medida de força poderia aparentemente resolver num primeiro momento. Mas deixaria sequelas, cicatrizes. E represada toda uma força que poderia retornar depois com muito mais tensão”, avaliou.

A reitoria respondeu a 38 pontos cobrados pelos estudantes, e segundo o reitor, cabe a eles agora “terem discernimento, entenderem que estivemos sempre dispostos a ter um compromisso de resolutividade e a gente espera que possam ter bom senso”.

GEILSON: “REITOR APOIA

Em discurso na Assembleia Legislativa o deputado estadual Carlos Geilson afirmou que o reitor apoia a ocupação e abre o restaurante para “alimentar os invasores”. “Ele apoia um minúsculo grupo, prejudicando mais de 8 mil alunos. O reitor se alia aos grevistas, invasores, que têm luz, água. Uma vergonha”, criticou Geilson na tribuna.

Evandro lamentou o discurso e disse que o deputado está desinformado, pois o restaurante funciona porque a universidade continua recebendo estudantes que fazem parte de projetos de pesquisa e bolsistas, entre eles grande parte dos 600 bolsistas de cursos de licenciatura, que atuam em escolas municipais e estaduais.

O reitor reafirma que concorda com pautas dos estudantes, “mas não necessariamente com o método de luta”, que é a ocupação da reitoria e o fechamento da entrada da universidade, onde só é permitido entrar a pé.

Por: tribunafeirense.com.br
top ads

Nenhum comentário:

Obrigado pelo seu comentário. A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria e não troca de ofensas entre leitores. Comentários anônimos e com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site Val Bahia News.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DE VÁRZEA DA ROÇA

[VÁRZEA DA ROÇA][grids]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA REGIÃO

[REGIÃO][stack]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA POLÍTICA

[POLÍTICA][grids]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DO ESPORTE

[ESPORTE][stack]

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

[DESTAQUE][btop]