POLÍTICA / Nenhum membro do PSDB foi preso na Lava Jato – e isso talvez nunca aconteça

Justiça interpreta os indícios de maneira diferente, conforme o nome do réu ou o partido político envolvido
Senador Aécio Neves, mesmo com fortes indícios de corrupção, escapou da cadeia
Uma das principais críticas à operação Lava Jato é a seletividade. Ou seja, a ideia de que os juízes e procuradores interpretam os indícios de maneira diferente, conforme o nome do réu ou o partido político envolvido nas denúncias.

PT, PSDB e PMDB foram os que mais receberam dinheiro de empresas citadas na Lava Jato. Os partidos se defendem dizendo que as doações foram feitas conforme a lei. Entre os três mais citados, apenas o PSDB não teve nenhum dos membros preso.

O senador Aécio Neves é o único político tucano com abertura de inquérito solicitada pela Procuradoria Geral da República. E os indícios contra ele não são poucos.

O dono da empresa JBS, Joesley Batista, disse em delação premiada que Aécio recebeu 60 milhões de reais ilegalmente em 2014. Essa acusação ainda não tem provas.

Acontece que Joesley entregou à Justiça uma gravação deste ano, em que Aécio Neves aparece pedindo a ele dois milhões de reais para pagar sua defesa na Lava Jato. Na sequência do telefonema, o senador tucano afirma que um primo dele iria receber o dinheiro. A entrega desses valores foi filmada pela Polícia Federal.

Parecia que não tinha escapatória. Mas teve. Em junho, o Supremo Tribunal Federal negou o pedido de prisão e mandou o tucano de volta ao Senado. Na decisão, o ministro Marco Aurélio Mello descreveu o PSDB como um dos maiores partidos do Brasil e disse que Aécio tem uma carreira política "elogiável".

Se comparado ao caso José Dirceu, parece piada de mau gosto. O ex-ministro chefe da Casa Civil, do PT, ficou preso por quase dois anos sem uma sentença condenatória em última instância.

A falta de pressa e de rigor nos processos que envolvem o PSDB, em relação a outros partidos, é questionada desde o início da Lava Jato. O chefe da força-tarefa em Curitiba, Deltan Dallagnol, foi perguntado sobre isso ao vivo na rádio Band News, em março. A explicação, segundo ele, é que o PSDB não fazia parte da base aliada do governo federal nos últimos anos.

Essa desculpa não cola. Na delação da empreiteira Odebrecht, por exemplo, são várias citações a políticos tucanos: quatro senadores e ex-senadores, 15 deputados e ex-deputados, três governadores e uma série de vereadores não identificados.

O patriarca da empreiteira, Emílio Odebrecht, admitiu ao Ministério Público que recebeu vantagens indevidas durante as campanhas presidenciais de Fernando Henrique Cardoso em 1994 e 1998. Mas nada disso foi adiante.

Se Aécio escapou da prisão e retornou ao mandato, mesmo com tantos indícios, é difícil imaginar que um tucano será preso tão cedo.

Todos têm amplo direito de defesa. Mas, na Lava Jato, parece que esse princípio vale mais para uns do que para outros.

Por: brasildefato
top ads

Nenhum comentário:

Obrigado pelo seu comentário. A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria e não troca de ofensas entre leitores. Comentários anônimos e com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site Val Bahia News.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DE VÁRZEA DA ROÇA

[VÁRZEA DA ROÇA][grids]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA REGIÃO

[REGIÃO][stack]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA POLÍTICA

[POLÍTICA][grids]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DO ESPORTE

[ESPORTE][stack]

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

[DESTAQUE][btop]