ESPORTE / Grande nome da história do Vitória: Neto Coruja conta sua história

O Jornal Transamérica 2ª edição dessa quarta-feira, 25 de outubro, foi marcado pela participação de Isamel Soares Neto, 30 anos. Quando criança, Neto; depois de se tornar um dos grandes nomes da história do Vitória, Neto Coruja, apelido que ganhou de colega de time quando ainda era da base do rubro-negro.
Natural de Baixa Grande, região de Mairi, Neto chegou em Capim Grosso aos sete anos de idade e foi nos campinhos de terra da cidade, na rua com os colegas, na escola, com extensão para a Escolhinha de Futebol de Manezão, que o garoto começou a se destacar e encher os olhos de quem o acompanhava nos babas, nos treinos, nos jogos, até que um dia surgiu a oportunidade de fazer teste no Esporte Clube Vitória, mas a saudade de casa acabou atrapalhando e Neto em lágrimas voltou para Capim Grosso, em casa começou a sentir saudade do Vitória e foi quando sua dedicação ao futebol se intensificou para mais tarde ganhar uma nova chance através da Catuense do saudoso Antônio Pena. “Fui para o Vitória, mas como o time já estava completo para a competição fui cedido para a Catuense, na metade do campeonato retornei para o Vitória, onde fiquei por 14 anos”, contou Neto Coruja.

No Rubro Negro baiano tudo começou em 2004. Em 2010, Neto Coruja ganhou espaço no time principal, com o Vitória nesse momento, na 3ª divisão do Campeonato Brasileiro. “Foi muito difícil pelo momento que o time estava vivendo, mas de grande aprendizado, por conta dos bons resultados alcançados para anos mais tarde colocar o Leão da Barra na 1ª divisão do Brasileirão”, contou Neto, com destaque para a COPA DO BRASIL, ano em que o Vitória disputou a final da competição contra o Santos de Neymar, Robinho, Ganso, dentre outros craques. No primeiro jogo na Vila Belmiro, em Santos, o time de Pelé venceu o Vitória por 2x0, jogo realizado no dia 28 de julho, com final realizada no Barradão em Salvador no dia 04 de agosto, a vitória  foi do Rubro Negro por 2x1, com o título ficando nas mãos dos meninos da Vila Belmiro, assim como outros momentos memoráveis de uma carreira de grande sucesso, que teve como principal adversário um problema no joelho esquerdo denominado de Tendinite patelar: inflamação que afeta o joelho devido ao esforço repetitivo.

Com três cirurgias e várias contusões, o problema do meu joelho custou parte da minha carreira”, explicou Neto Coruja. Depois de tentar todos os tratamentos possíveis ,até mesmo com o médico Dr. Joaquim Grava, médico da Seleção Brasileira, vários tratamentos no vitória, no ABC de Rio Grande do Norte, por onde atuou no período de 4 meses no ano de 2015, tratamento no Corinthians Paulista, onde viveu a possibilidade de ganhar um novo contrato para a disputa do Campeonato Paulista pelo timão ou até mesmo por outro Clube de São Paulo, Neto Coruja decidiu encerrar a jornada pelos campos Brasil a fora quando ouviu de um profissional da medicina que seu joelho não tinha mais como ser recuperado. “A notícia causou um grande impacto, mas a vida segue com outras perspectivas”, colocou Neto Coruja, com citações ainda para o comportamento do treinador Anderson Barros, que ao assumir o time do Vitória em 2015, liberou Neto Coruja para procurar outro clube.

Ainda falando sobre sua trajetória, Neto volta para casa trazendo na bagagem uma história de sucesso de um garoto que poderia ter se perdido pelos caminhos da vida como aconteceu com outros garotos da sua infância, mas a vontade de vencer de ser alguém na vida foi garantida pelo seu talento, por sua garra, sua dedicação, seu profissionalismo, pontos que de alguma forma chegaram até a afetar a sua carreira diante do problema do joelho, que de tanta vontade de jogar, não deu tempo suficiente para um tratamento mais completo do joelho esquerdo tendo como resultado o fim de uma carreira que diante da sua forma física se estenderia por mais alguns anos, mas Deus sabe de todas as coisas, foi a frase dita por Neto Coruja ao falar da decisão de parar de jogar por conta do problema no joelho.

Em Capim Grosso ao lado da família, Neto Coruja tem planos de montar um projeto de futebol na cidade, tendo como inspiração o que foi montado por Wallace, zagueiro do Vitória, com passagens pelo Flamengo, Corinthians, Grêmio, futebol internacional. O projeto de Wallace foi construído em sua cidade natal, Conceição do Coité, para Neto Coruja, uma grande iniciativa que vai somar na construção de cidadãos e na descoberta de grandes craques.

Devido a uma ação judicial impetrada contra o Vitória por conta do seu problema no joelho, com 1ª audiência já realizada, Neto Coruja espera em breve poder estruturar todo seu projeto e com isso dá início a uma nova fase na vida dentro do futebol, certamente de grandes vitórias como foi na trajetória de 14 anos no Esporte Clube Vitória, seu time de coração.

Na entrevista Neto fez questão de frisar os nomes de Negão do Posto, o homem que descobriu o seu futebol, Manezão da Escolhinha, Faraó, Né, dentre outros que somaram na sua vida profissional colocando para sempre Neto Coruja para a galeria dos grandes nomes do futebol da Bahia.

Por: reporterbahia
top ads

Nenhum comentário:

Obrigado pelo seu comentário. A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria e não troca de ofensas entre leitores. Comentários anônimos e com tons ofensivos, preconceituosos e que que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site Val Bahia News.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DE VÁRZEA DA ROÇA

[VÁRZEA DA ROÇA][grids]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA REGIÃO

[REGIÃO][stack]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA POLÍTICA

[POLÍTICA][grids]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DO ESPORTE

[ESPORTE][stack]

NOTÍCIAS EM DESTAQUE

[DESTAQUE][btop]