Damos as boas vindas e agradecemos a todos pela visita a este espaço. Este site é dedicado a todos Varzeanos que estão em outras cidades e estados do brasil, com saudade de tudo de bom que tem neste lugar (Várzea da Roça-BA ). Fiquem à vontade para acompanhar ao máximo todas as notícias e informações divulgadas. Aaproveitem para ouvir a Rádio Ouricuri.

FIQUE SABENDO! / BOLSAS DE MESTRADO E DOUTORADO PODEM ACABAR. ASSIM COMO A INCLUSÃO DE NEGROS E ÍNDIOS NA ACADEMIA

O ALERTA EMITIDO nesta quinta-feira pela Capes, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do país, de que 200 mil bolsas de pós-graduação poderão ser extintas em agosto 2019 se o corte no orçamento se manter não significa apenas o fim da ciência no Brasil, o que seria trágico por si só. O fim do subsídio a pesquisadores vai expulsar os grupos marginalizados para fora das universidades e acabar com uma conquista histórica.
Foto: José Lucena/Futura Press/Folhapress
O fim do subsídio a pesquisadores vai expulsar os grupos marginalizados para fora das universidades e acabar com uma conquista histórica.
A Capes é uma das principais agências de fomento de pesquisas em pós-graduação e, nos últimos 20 anos, também fornece recursos para o aperfeiçoamento da educação básica através de programas como o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência, o Pibid. É a partir das bolsas fornecidas pela Capes e dos recursos distribuídos para a realização de eventos acadêmicos que parte significativa da produção científica brasileira se mantém.

As bolsas fornecidas pela Capes são a única possibilidade de manutenção de 200 mil pesquisadores e pesquisadoras no Brasil, sobretudo aqueles envolvidos em pesquisas relacionadas às humanidades. A possibilidade de suspensão das bolsas também significa a suspensão da inclusão de negros, negras, indígenas, ribeirinhos, quilombolas, travestis e transexuais nas instituições de ensino superior desse país.

A produção de conhecimento no Brasil esteve, até a adoção das ações afirmativas, concentrada entre a camada da população economicamente privilegiada. As universidades brasileiras foram um sonho distante e impossível para a maioria dos brasileiros durante muitos anos. A popularização do ensino superior e a consequente mudança do tecido social acadêmico ainda são uma novidade, cujos impactos são compartilhados em relatos emocionados daqueles e daquelas que são os primeiros graduados e pós-graduados de sua família.

A suspensão das bolsas é também a interrupção do sonho de uma carreira acadêmica para quem nunca teve acesso a essa profissão.
As cotas raciais possibilitaram que, nas últimas décadas, mães, pais e avós de famílias negras vivessem a emoção de assistir uma cerimônia de graduação pela primeira vez, e as bolsas fornecidas pela Capes, sobretudo as bolsas oriundos do Pibid, são parte dessa conquista. A suspensão das bolsas é também a interrupção do sonho de uma carreira acadêmica para quem nunca teve acesso a essa profissão. Significa a perda de diversidade de olhares na ciência, na história, na filosofia.

Os recursos oferecidos pela Capes são, não raramente, a única forma de permanência e sustento de pós-graduandos oriundos dos grupos subordinados. Eu mesma, que sou pós-graduanda com bolsa em Direito pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos, em São Leopoldo, Rio Grande do Sul, só consigo fazer minha pesquisa de mestrado nessa instituição porque minhas mensalidades são pagas com recursos oriundos da agência de fomento.

Minha pesquisa, que é focada no pensamento de mulheres negras, depende da existência desse tipo de agência. Por outro lado, quem sempre teve a academia como um caminho natural, não será tão afetado como nós.

O desenvolvimento científico voltado para os setores da economia que são de interesse do capital não serão atingidos por essa suspensão. Os programas de pós-graduação e os pós-graduandos, premiados por empresas como a Monsanto, podem dormir confortavelmente nos próximos meses sem a menor preocupação com o futuro de suas pesquisas. Os filhos e filhas das elites econômicas podem reservar suas passagens para estudar fora do país sabendo que terão recursos para se manter no exterior e não correm riscos de ser impedidos de se manter no exterior.

Nós, os primeiros da família a possuir um título acadêmico, os que têm na academia a esperança da equidade social, os que se dedicam a pensar soluções para a construção de justiça global a partir de categorias de análise oriundas dos conhecimentos populares somos quem tem o futuro em risco.

A suspensão das bolsas Capes é a vitória do ódio antinegro. A vitória dos sujeitos que picham paredes e muros de universidades com mensagens racistas. O governo Temer está consolidando os desejos daqueles que nunca aceitaram as mudanças das universidades brasileiras, daqueles e daquelas que escrevem “fora macacos cotistas” por instituições de ensino país afora. Sem pesquisa socialmente engajada, sem pesquisadores das camadas populares.

O que está em jogo com a possibilidade de suspensão das bolsas Capes é o término do projeto de popularização do ensino superior, que pode voltar a ser um espaço exclusivo das elites econômicas. Quem se beneficia dessa nefasta consequência certamente não é a população brasileira.

Por: theintercept
“Quando vocês tiverem dúvidas quanto a que posição tomar diante de qualquer situação, atentem… Se a Rede Globo for a favor, somos contra. Se for contra, somos a favor!”
top ads

Nenhum comentário:

Obrigado pelo seu comentário. A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria e não troca de ofensas entre leitores. Comentários anônimos e com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site Val Bahia News.

SEJAM BEM VINDOS! TRABALHAMOS COM APOIO DE:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DE VÁRZEA DA ROÇA

[VÁRZEA DA ROÇA][stack]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA REGIÃO

[REGIÃO][stack]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA POLÍTICA

[POLÍTICA][stack]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DO ESPORTE

[ESPORTE][stack]