Damos as boas vindas e agradecemos a todos pela visita a este espaço. Este site é dedicado a todos Varzeanos que estão em outras cidades e estados do brasil, com saudade de tudo de bom que tem neste lugar (Várzea da Roça-BA ). Fiquem à vontade para acompanhar ao máximo todas as notícias e informações divulgadas. Aaproveitem para ouvir a Rádio Ouricuri.

POLÍTICA / BOLSONARO FAZ ACENO TOSCO ÀS MULHERES E É NOCAUTEADO POR MARINA

Presidenciável fica na retranca em programa ao vivo na TV, e mostra que o fosso que o separa do eleitorado feminino vai seguir existindo
Bolsonaro e Marina no debate da RedeTV! P. WHITAKER REUTERS
O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) tem nas mulheres seu calcanhar de Aquiles, e depois do debate na RedeTV! na noite de sexta, a chance de superar essa fragilidade ficou menor. Ao chamar Marina Silva (Rede) para uma troca de perguntas — provavelmente por achar que era a candidata mais fraca, depois do Cabo Daciolo (Patriota) — acabou caindo numa armadilha. O militar de reserva perguntou se Marina era a favor do porte de armas e a candidata da Rede limitou-se a dizer “não”, aproveitando o tempo de resposta que lhe restava para confrontar Bolsonaro sobre suas ideias para as mulheres. “Você disse que a questão dos salários menores para as mulheres é uma coisa com que a gente não precisa se preocupar porque já está na CLT. Só uma pessoa que não sabe o que é ganhar um salário menor do que um homem tendo as mesmas capacidades, as mesmas competências, e ser a primeira a ser demitida é quem sabe”, disse ela.

O militar ficou sem reação, para conter sua agressividade, embora tenha tentado reagir. “Temos aqui uma evangélica que defende um plebiscito sobre o aborto e a legalização das drogas”, disse ele. Mas já era tarde. Bolsonaro sugeriu que trata bem sim as mulheres, inclusive propondo que se defendam com a posse de armas. Num vídeo de sua campanha sugeriu que a posse de armas era o verdadeiro empoderamento feminino, expondo ignorância para falar com o público que até pouco representava 41% dos indecisos, em pesquisas estimuladas (quando os potenciais candidatos são apresentados a um entrevistado), contra 25% dos homens. É um problema sério para Bolsonaro, que tem 26% das preferências do eleitor masculino, mas somente 8% do feminino.

Embora venha tentando modular suas falas, tem pouco espaço para fazer crer que sua preocupação seja verdadeira. Um dia antes do debate na RedeTV!, os presidenciáveis haviam sido convidados pelo grupo Mulheres do Brasil a participar de uma conversa com representantes femininas para falar sobre assuntos relativos ao universo feminino. O evento, comandado pela empresária Luiza Trajano, contou com a presença de sete presidenciáveis, incluindo Marina Silva, Geraldo Alckmin, Ciro Gomes, Álvaro Dias e Henrique Meirelles. E Bolsonaro? Não teve agenda para atender ao convite. Em seu programa de governo de 81 páginas, registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), só há menção à palavra mulher uma única vez num quadro sobre estupros, crime este citado para justificar endurecimento de penas.

Ao longo do debate desta sexta à noite, o candidato do PSL negou que alguma vez tivesse dito que mulheres poderiam ganhar menos que os homens. Porém, foi num programa da mesma emissora, numa entrevista à apresentadora Luciana Gimenez, em 2016, que ele afirmou que “tem muita mulher que é competente”, numa frase que deixava antever sua dificuldade de ser firme para deixar de diferenciar competência por sexo. É ainda mais forte a imagem dele xingando uma jornalista, em 2014, dizendo que ela era “até bonita”, mas “você é uma idiota”. Seu embate com a deputada Maria do Rosário (PT-RS) também formou o rótulo de machista que o acompanha e difícil de apagar, como explicou a antropóloga Rosana Pinheiro-Machado em entrevista ao EL PAÍS.
A cola de Bolsonaro
Mais do que a inabilidade explícita para lidar com a questão, o encontro dos presidenciáveis na RedeTV! mostrou que Bolsonaro está assustado. Se é valente nas redes, no programa ao vivo estava mais inseguro que o Cabo Daciolo, apesar de não ter sido confrontado pelos outros candidatos competitivos, como Geraldo Alckmin ou Ciro Gomes. Quando foi ao centro do palco para inquirir Marina, não fez a menor questão de esconder que tinha uma cola anotada na mão — com as palavras “pesquisa”, “Lula” e “armas”. Também trouxe a ameaça do comunismo como uma fonte de preocupação para o eleitor em suas considerações finais. Antes, ficou perdido com a pergunta de economia feita pelo jornalista Reinaldo Azevedo. Ciro Gomes, economista, que foi chamado na ocasião para uma réplica, deixou ali de aproveitar a bola levantada para expor seu adversário. Também Alckmin, que nitidamente quer roubar eleitores do militar, evitou chamá-lo para fazer perguntas diretas. Foi a frágil Marina que fez a alegria das redes ao expor um Bolsonaro desconsertado e sem consistência para abordar o público que representa 52% do eleitorado brasileiro.
Por: elpais
“Quando vocês tiverem dúvidas quanto a que posição tomar diante de qualquer situação, atentem… Se a Rede Globo for a favor, somos contra. Se for contra, somos a favor!”
top ads

Nenhum comentário:

Obrigado pelo seu comentário. A área de comentários visa promover um debate sobre o assunto tratado na matéria e não troca de ofensas entre leitores. Comentários anônimos e com tons ofensivos, preconceituosos e que firam a ética e a moral não serão liberados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site Val Bahia News.

SEJAM BEM VINDOS! TRABALHAMOS COM APOIO DE:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DE VÁRZEA DA ROÇA

[VÁRZEA DA ROÇA][stack]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA REGIÃO

[REGIÃO][stack]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DA POLÍTICA

[POLÍTICA][stack]

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DO ESPORTE

[ESPORTE][stack]